Liturgia diária Com que autoridade fazes essas coisas?

8ª Semana Comum – Ano Litúrgico C

28 de maio de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, faze-me esperto no trato com os inimigos do Reino, de modo a não ser vítima de suas ciladas e de suas intenções perversas.

PRIMEIRA LEITURA: Jd 17.20b-25

Leitura da Carta de São Judas – 17Vós, porém, amados, lembrai-vos das palavras preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo. 20bEdificai-vos sobre o fundamento da vossa santíssima fé e rezai, no Santo Espírito, 21de modo que vos mantenhais no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna. 22E a uns, que estão com dúvidas, deveis tratar com piedade. 23A outros, deveis salvá-los arrancando-os do fogo. De outros ainda deveis ter piedade, mas com temor, aborrecendo a própria veste manchada pela carne… 24Aquele que é capaz de guardar-vos da queda e de apresentar-vos perante a sua glória irrepreensíveis e jubilosos, 25ao único Deus, nosso Salvador, por Jesus Cristo, nosso Senhor: glória, majestade, poder e domínio, desde antes de todos os séculos, e agora, e por todos os séculos. Amém. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 62

— A minha alma tem sede de vós, ó Senhor!
— A minha alma tem sede de vós, ó Senhor!

— Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minh’alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água!

— Venho, assim, contemplar-vos no templo, para ver vossa glória e poder. Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam.

— Quero, pois vos louvar pela vida, e elevar para vós minhas mãos! A minh’alma será saciada, como em grande banquete de festa; cantará a alegria em meus lábios, ao cantar para vós meu louvor!

EVANGELHO: Mc 11,27-33

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Marcos.
          – Glória a vós, Senhor.

27Naquele tempo, Jesus e os discípulos foram de novo a Jerusalém. Enquanto Jesus estava andando no Templo, os sumos sacerdotes, os mestres da Lei e os anciãos aproximaram-se dele e perguntaram: 28“Com que autoridade fazes essas coisas? Quem te deu autoridade para fazer isso?” 29Jesus respondeu: “Vou fazer-vos uma só pergunta. Se me responderdes, eu vos direi com que autoridade faço isso. 30O batismo de João vinha do céu ou dos homens?
Respondei-me”. 31Eles discutiam entre si: “Se respondermos que vinha do céu, ele vai dizer:
‘Por que não acreditastes em João?’ 32Devemos então dizer que vinha dos homens?” Mas eles tinham medo da multidão, porque todos, de fato, tinham João na qualidade de profeta. 33Então eles responderam a Jesus: “Não sabemos”. E Jesus disse: “Pois eu também, não vos digo com que autoridade faço essas coisas”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

[apss_share]

Comentário do Evangelho

No Templo, Jesus é cercado pelos sacerdotes, pelos escribas e pelos anciãos. Os fariseus não estão. Querem saber de onde Jesus tem autoridade para fazer o que faz. Quem é ele afinal? Jesus não responde, ou responde com outra pergunta. O batismo de João era do céu ou era dos homens? Curiosa a pergunta-resposta de Jesus. Ele entra por um campo inesperado. O que vem João Batista fazer aqui? As autoridades tinham direito de questionar Jesus, mas não o questionaram a partir da autoridade que tinham. Questionaram a partir da má vontade porque, mesmo vendo, não acreditavam. A resposta de Jesus cria embaraços aos homens do Templo, que preferiram responder: Não sabemos. Jesus não responde “Não sei”. Responde “Não digo”. E encerrou o assunto. Há quem mereça explicações e respostas, mas nem todos.
O silêncio pode ser a resposta, como outra pergunta para confundir o interlocutor. Sacerdotes, escribas e anciãos não acreditavam em Jesus, mas temiam o povo. É o povo que faz a nação e que faz a Igreja.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Jesus é o Messias enviado para libertar o povo de todo jugo do poder e da escravidão. Por isso, seu anúncio e sua prática se chocam com os interesses do sinédrio.
Para bem compreendermos a Palavra que vamos meditar, peçamos: “Espírito Divino, luz de Deus, vinde nos iluminar, para que possamos compreender o sentido profundo da Palavra de Deus. Fazei-nos discípulos missionários de Jesus, Caminho, Verdade e Vida, transformando nosso coração em terra boa, onde a Palavra produza frutos abundantes. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Procure compreender todos os aspectos da narrativa: lugares, pessoas, perguntas que são feitas… Quais são as palavras ou ensinamentos de Jesus? De onde vem a autoridade de Jesus, questionada pelos líderes religiosos do templo? Qual a importância da missão de João Batista enquanto precursor do Messias?
“O grupo dos adversários de Jesus é de peso: sumos sacerdotes, escribas e anciãos (cf. v. 27). As controversas, como podemos observar, não se reduzem ao início do Evangelho segundo Marcos (2,1–3,6). Às portas da paixão, a oposição a Jesus se intensifica, e vai se delineando a razão da condenação à morte. A questão apresentada pelo grupo é acerca da origem da autoridade pela qual Jesus ensina e age (cf. v. 28). Qualquer resposta dada não seria suficiente, pois já haviam decidido fazer Jesus perecer (cf. 3,6). Corrobora com isso o fato de eles não responderem à questão posta por Jesus (cf. vv. 29-33). Jesus, então, se recusa a responder à questão posta por eles (cf. v. 33). Sem o acolhimento na fé, não é possível reconhecer que a origem da autoridade de Jesus é divina. A ‘esclerocardia’ impede reconhecer que a autoridade de Jesus está na sua coerência interna; a sua autoridade é aquela própria do Espírito Santo, que o revestiu para a sua missão e que ele comunica em tudo o que faz e ensina” (Comentário de Pe. Carlos Alberto Contieri, no livro “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o Senhor nos diz por meio do Evangelho? Como você acolhe em sua vida a libertação que o Senhor nos traz? Você reconhece que a autoridade de Jesus é divina e que Ele é o enviado do Pai? Quais sentimentos a Palavra despertou em você?
Jesus ensina e realiza diversas obras com autoridade. Essa autoridade lhe é concedida pelo Pai, pois Ele é o verdadeiro enviado de Deus. Jesus age com o poder do próprio Deus em defesa da vida e em favor dos pequenos.

Oração (Vida)
“Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade queremos aprender de Vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por Vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus, renunciando a nós mesmos, para buscar em tudo a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Como você pretende viver, durante o dia, o apelo que o Senhor despertou em seu coração?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

[apss_share]