Liturgia diária Dou-vos a minha paz!

6º Domingo da Páscoa – Ano Litúrgico C

01 de maio de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Espírito de iluminação, ensina-me e recorda-me todos os ensinamentos do Mestre Jesus, para que eu possa vivê-los com mais fidelidade.

PRIMEIRA LEITURA: At 15,1-2.22-29

Leitura dos Atos dos Apóstolos – Naqueles dias, 1chegaram alguns da Judeia e ensinavam aos irmãos de Antioquia, dizendo: “Vós não podereis salvar-vos, se não fordes circuncidados, como ordena a Lei de Moisés”.
2Isto provocou muita confusão, e houve uma grande discussão de Paulo e Barnabé com eles. Finalmente, decidiram que Paulo, Barnabé e alguns outros fossem a Jerusalém, para tratar dessa questão com os apóstolos e os anciãos.
22Então os apóstolos e os anciãos, de acordo com toda a comunidade de Jerusalém, resolveram escolher alguns da comunidade para mandá-los a Antioquia, com Paulo e Barnabé. Escolheram Judas, chamado Bársabas, e Silas, que eram muito respeitados pelos irmãos.
23Através deles enviaram a seguinte carta: “Nós, os apóstolos e os anciãos, vossos irmãos, saudamos os irmãos vindos do paganismo e que estão em Antioquia e nas regiões da Síria e da Cilícia. 24Ficamos sabendo que alguns dos nossos causaram perturbações com palavras que transtornaram vosso espírito. Eles não foram enviados por nós.
25Então decidimos, de comum acordo, escolher alguns representantes e mandá-los até vós, junto com nossos queridos irmãos Barnabé e Paulo, 26homens que arriscaram suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. 27Por isso, estamos enviando Judas e Silas, que pessoalmente vos transmitirão a mesma mensagem. 28Porque decidimos, o Espírito Santo e nós, não vos impor nenhum fardo, além destas coisas indispensáveis: 29abster-se de carnes sacrificadas aos ídolos, do sangue, das carnes de animais sufocados e das uniões ilegítimas. Vós fareis bem se evitardes essas coisas. Saudações!” – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 66

          — Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor,/ que todas as nações vos glorifiquem!
— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor,/ que todas as nações vos glorifiquem!

— Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção,/ e sua face resplandeça sobre nós!/ Que na terra se conheça o seu caminho/ e a sua salvação por entre os povos.

— Exulte de alegria a terra inteira,/ pois julgais o universo com justiça;/ os povos governais com retidão,/ e guiais, em toda a terra, as nações.

— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor,/ que todas as nações vos glorifiquem!/ Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe,/ e o respeitem os confins de toda a terra!

SEGUNDA LEITURA: Ap 21,10-14.22-23

Leitura do Livro do Apocalipse de São João – 10Um anjo me levou em espírito a uma montanha grande e alta. Mostrou-me a cidade santa, Jerusalém, descendo do céu, de junto de Deus, 11brilhando com a glória de Deus. Seu brilho era como o de uma pedra preciosíssima, como o brilho de jaspe cristalino.
12Estava cercada por uma muralha maciça e alta, com doze portas. Sobre as portas estavam doze anjos, e nas portas estavam escritos os nomes das doze tribos de Israel.
13Havia três portas do lado do oriente, três portas do lado norte, três portas do lado sul e três portas do lado do ocidente.
14A muralha da cidade tinha doze alicerces, e sobre eles estavam escritos os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.
22Não vi templo na cidade, pois o seu Templo é o próprio Senhor, o Deus Todo-poderoso, e o Cordeiro.
23A cidade não precisa de sol nem de lua que a iluminem, pois a glória de Deus é a sua luz, e a sua lâmpada é o Cordeiro. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Jo 14,23-29

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São joão.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 23“Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada. 24Quem não me ama, não guarda a minha palavra. E a palavra que escutais não é minha, mas do Pai que me enviou.
25Isso é o que vos disse enquanto estava convosco. 26Mas o Defensor, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito.
27Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração.
28Ouvistes o que eu vos disse: ‘Vou, mas voltarei a vós’. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu.
29Disse-vos isso, agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Antes de partir, Jesus ressuscitado deixa suas últimas recomendações a seus discípulos. O que Jesus espera deles? Que se amem uns aos outros e que o amem. Quem ama Jesus é amado pelo Pai. Quem ouve a palavra de Jesus ouve a palavra do Pai que o enviou. E o Pai enviará o Espírito Santo em nome de Jesus. Ele será o Defensor, ensinará tudo e nos fará recordar tudo o que Jesus disse.
Nesta conversa de despedida, Jesus nos garante sua presença e promete o envio do Espírito Santo como nosso Defensor. Ele fala de si mesmo, fala do Pai e do Espírito Santo, e entendemos essa fala como a revelação da Santíssima Trindade. Jesus se refere ao Pai, a si mesmo e ao Espírito como pessoas distintas de uma mesma natureza divina.
Quando ele diz que o Pai é maior do que ele, Jesus está pensando tanto na sua humanidade quanto no que é próprio de cada um na Trindade. O Pai é o que gera e envia. O Espírito é a vida da Comunidade dos seguidores de Jesus. Ele ilumina a todos, de modo particular os que têm a responsabilidade de guiar o rebanho. Os apóstolos, reunidos em Jerusalém, ao escrever às comunidades cristãs nascentes, usam a expressão: “Decidimos, o Espírito Santo e nós”.
Aceitamos e acreditamos que o Espírito Santo ilumina a todos e de modo particular os pastores da Igreja, que exercem o magistério para que no meio das variedades deste mundo todos permaneçam firmes no ensinamento de Jesus e seus apóstolos. Jesus nos deixa a sua paz e tira de nós todo medo, garantindo a sua presença entre nós. Ele vai partir na sua Ascensão, mas voltará no Espírito Santo que o Pai enviará em nome de Jesus. Olhamos para a nova Jerusalém que se apresenta diante de nós. Ela é toda inteira a glória do próprio Deus. É nele que já mergulhamos e nele se revelará a glória que está em nós. Enquanto somos vasos de barro que guardam um tesouro, caminhamos na esperança, sem medos, sem perturbações, sem traumas ou escrúpulos, pela garantia que temos de um Defensor que nos ajuda a guardar a Palavra.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Sexto domingo da Páscoa. Serem testemunhas da unidade: foi essa a missão que Jesus confiou aos seus discípulos, e a fé das primeiras gerações cristãs dependeu desse testemunho. Sermos testemunhas no mundo de hoje: esse é o convite que a Palavra nos faz.
Rezemos: “Jesus Mestre, cremos com viva fé que estais aqui presente, para indicar-nos o caminho que leva ao Pai. Iluminai nossa mente, movei nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Faça uma leitura atenta e observe o pedido que Jesus dirige ao Pai. Quem são “aqueles que vão crer em mim”? Qual é a importância do testemunho dos discípulos?
Meditando sobre esse trecho da oração que Jesus dirige ao Pai, percebemos que Ele pede por todos aqueles que vão crer nele a partir do testemunho dos discípulos: “Eu não rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim pela palavra deles”. Observamos, aqui, a importância do testemunho dos discípulos para que outros possam crer em Jesus, o enviado do Pai: “A fim de que o mundo creia que tu me enviaste”. O pedido pela unidade mais uma vez se repete: “Que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim, e eu em ti”. A unidade e a comunhão fraterna entre os discípulos são elementos essenciais do testemunho.

Meditação (Caminho)
Qual é a mensagem do Evangelho para o seu dia, para a sua vida? O que é ser testemunha de Cristo no mundo de hoje? Quais foram as pessoas que lhe transmitiram a fé cristã? Quais pessoas você recorda como testemunhas dos valores cristãos?
“Todos devemos deixar que os outros nos evangelizem constantemente; isto não significa que devemos renunciar à missão evangelizadora, mas encontrar um modo de comunicar Jesus que corresponda à situação em que vivemos. Seja como for, todos somos chamados a dar aos outros o testemunho explícito do amor salvífico do Senhor, que, sem olhar as nossas imperfeições, nos oferece a sua proximidade, a sua Palavra, a sua força, e dá sentido à nossa vida. O seu coração sabe que a vida não é a mesma coisa sem Ele; pois bem, aquilo que descobriste, o que te ajuda a viver e te dá esperança, isso é o que deves comunicar aos outros” (Evangelii Gaudium, n. 121)

Oração (Vida)
Apresente ao Senhor a prece que brotou em seu coração. Apresente ainda as necessidades da humanidade e do povo brasileiro neste Dia do Trabalho. Tenha presente os trabalhadores, os desempregados, todos aqueles que lutam por condições dignas de trabalho.
Conclua com a oração: “Pai misericordioso, dirige teu olhar sobre teu povo disperso por toda a terra. Faz com que todos quantos, pelo batismo, vivemos em Cristo ressuscitado saibamos sempre reconhecer a voz de pastor e guia da tua Igreja. Concede-nos a alegria do Espírito e a força de sermos fiéis. Que nossa fé seja estrela luminosa no céu dos homens, como Cristo ressuscitado é a luz, a verdade e a vida para sempre. Amém” (Trecho do livro “Ele está no meio de nós”, Paulinas Editora).

Contemplação (Vida e Missão)
Sintetize em poucas palavras o apelo que o Evangelho fez a seu coração, para colocá-lo em prática durante o dia. O que você se propõe a viver hoje?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.