ORação diária, Em seu nome as nações depositarão sua esperança - Mt 12,14-21

15ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

20 de julho de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, meu único desejo é estar em comunhão contigo, para que, como Jesus, eu saiba discernir, em cada circunstância, a melhor maneira de agir.

PRIMEIRA LEITURA: Ex 12,37-42

Leitura do Êxodo – Naqueles dias, 37Os israelitas partiram de Ramsés para Socot, em número de seiscentos mil homens, aproximadamente, sem contar os meninos. 38Além disso, acompanhava-os uma numerosa multidão, bem como rebanhos consideráveis de ovelhas e de bois. 39Cozeram bolos ázimos da massa que levaram do Egito, pois esta não se tinha fermentado, porque tinham sido lançados fora do país e não puderam deter-se nem fazer provisões. 40A permanência dos israelitas no Egito durara quatrocentos e trinta anos. 41Exatamente no fim desses quatrocentos e trinta anos, todos os exércitos do Senhor saíram do Egito: 42Foi uma noite de vigília para o Senhor, a fim de tirá-los do Egito: essa mesma noite é uma vigília a ser celebrada de geração em geração por todos os israelitas, em honra do Senhor. 

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 135(136)

          — Eterna é a sua misericórdia.
— Eterna é a sua misericórdia.

— Demos graças ao Senhor, porque ele é bom: porque eterno é seu amor! De nós, seu povo, humilhado, recordou-se: porque eterno é seu amor! De nossos inimigos libertou-nos: porque eterno é seu amor!

— Ele feriu os primogênitos do Egito porque eterno é seu amor! E tirou do meio deles Israel: porque eterno é seu amor! Com mão forte e com braço estendido: porque eterno é seu amor!

— Ele cortou o Mar Vermelho em duas partes: porque eterno é seu amor! Fez passar no meio dele Israel: porque eterno é o seu amor! E afogou o Faraó com suas tropas: porque eterno é seu amor!

EVANGELHO: Mt 12,14-21

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
          – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, 14Os fariseus saíram dali e deliberaram sobre os meios de o matar. 15Jesus soube disso e afastou-se daquele lugar. Uma grande multidão o seguiu, e ele curou todos os seus doentes.16Proibia-lhes formalmente falar disso, 17para que se cumprisse o anunciado pelo profeta Isaías: 18Eis o meu servo a quem escolhi, meu bem-amado em quem minha alma pôs toda sua a afeição. Farei repousar sobre ele o meu Espírito e ele anunciará a justiça aos pagãos. 19Ele não disputará, não elevará sua voz; ninguém ouvirá sua voz nas praças públicas. 20Não quebrará o caniço rachado, nem apagará a mecha que ainda fumega, até que faça triunfar a justiça. 21Em seu nome as nações pagãs porão sua esperança (Is 42,1-4). 

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

O versículo inicial conclui o relato da cura da mão atrofiada de um homem e introduz a citação do profeta Isaías. Por que tomaram a decisão de matar Jesus? Porque ele se opôs a uma concepção nada humana da observância do sábado e, consequentemente, nada divina. Há uma clara oposição entre o modo como os ensinamentos de Moisés eram vividos e interpretados e a visão de Jesus sobre a pessoa humana. A oposição chegou ao ponto de tramarem a morte de Jesus. Jesus se retira. Sua hora ainda não tinha chegado e tudo acontecerá segundo o projeto salvífico de Deus. Jesus se retira, mas continua curando os doentes e mostrando como nele se realizam todas as Escrituras. Ele é o Servo de Deus, escolhido e amado. Sobre ele repousa o Espírito e ele anunciará às nações o projeto de Deus. No vocábulo “julgamento” está a síntese da Lei de Deus. Jesus é o Servo Sofredor humano e humanizador. Ele não discute nem grita. Não desiste nem desanima. Sabe esperar. Não apaga a mecha que ainda fumega e não quebra o caniço que está rachado. Ele não desiste do ser humano. Por isso, as nações depositarão sua esperança em seu nome.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Para bem acolhermos e vivermos os ensinamentos da Palavra de Deus para o nosso dia, peçamos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Quais são as palavras ou gestos de Jesus? Qual tema perpassa a discussão dos personagens? Procure identificar o contexto do relato evangélico.
“A morte de Jesus foi premeditada e é consequência de sua vida, do modo como ele, fiel, pôs em prática a vontade de Deus. A interpretação dos fariseus de que Jesus viola o sábado (12,1-8.14-21) é uma das causas da decisão de matar Jesus. A condenação injusta de Jesus e a sua morte violenta é consequência de sua vida. Jesus é condenado e morto por fazer o bem, por revelar a face misericordiosa de Deus. No entanto, esse fato não intimida Jesus de prosseguir o seu caminho nem é capaz de dissuadi-lo da sua determinação de fazer a vontade de Deus. Saindo da sinagoga deles, Jesus continua a despertar nas pessoas a fé na vida e o gosto de viver. Pela citação de um trecho de um dos cânticos do servo sofredor (Is 42,1-4), que diz da vocação e do destino do servo de Deus, o evangelista convida a comunidade cristã a reler, à luz do mistério de Cristo, essa passagem de Isaías e a compreender que ela diz respeito a Jesus, eleito de Deus, em quem repousa o Espírito de Deus (Mt 3,16-17). A salvação da qual o Senhor é portador não é privilégio de uns poucos nem algo que precise ser conquistado. Ela é dom de Deus e é destinada a toda a humanidade” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Este é o momento do encontro da Palavra de Deus com a nossa vida. Procure ver o que o texto pode trazer à sua experiência de fé para enriquecê-la. Que luz nos dá Jesus com sua pessoa e sua mensagem? Quem é Jesus para você? Como é sua relação com Jesus, o Filho enviado do Pai? Quais sentimentos o texto desperta em seu coração? Em silêncio, deixe a Palavra de Deus encontrar espaço em sua vida. Examine sua consciência, reveja suas ações, confronte suas atitudes com a mensagem de Jesus.
“Aos olhos dos seus inimigos, Jesus estava incomodando demais com suas novidades e com a quebra de alguns paradigmas, ou mesmo com a transgressão de algumas leis. Então, decidiram matá-lo. Mas como eles matariam esse homem tão querido e tão popular, sem que as massas se revoltassem contra eles? Começa um jogo para tentar pegá-lo em deslizes que lhe custassem a vida. Jesus, prudente, afastou-se daquele lugar para evitar a violência. Jesus não queria ser visto como um líder revolucionário, o que atrairia a ira dos romanos; por isso, pede que ninguém diga quem ele era. De quantos corações o Senhor ainda estará afastado porque não foi acolhido?” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Ofereça ao Senhor os frutos da sua oração, da sua meditação e da contemplação da Palavra. Apresente o desejo que brotou em seu coração e peça a graça de vivê-lo durante o dia.

Contemplação (Vida e Missão)
Qual é a aplicação da Palavra em sua vida? O que você se propõe a viver hoje? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas