Liturgia diária, Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer - Lc 17,7-10

32ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

12 de novembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, reconhecendo-me servo inútil, quero esforçar-me para ser justo e misericordioso. Somente assim serei agradável a ti.

PRIMEIRA LEITURA: Sb 2,23–3,9

Leitura do Livro da Sabedoria

2,23Deus criou o homem para a imortalidade e o fez à imagem de sua própria natureza; 24foi por inveja do diabo que a morte entrou no mundo, e experimentam-na os que a ele pertencem. 3,1A vida dos justos está nas mãos de Deus, e nenhum tormento os atingirá. 2Aos olhos dos insensatos parecem ter morrido; sua saída do mundo foi considerada uma desgraça, 3e sua partida do meio de nós, uma destruição; mas eles estão em paz. 4Aos olhos dos homens parecem ter sido castigados, mas sua esperança é cheia de imortalidade; 5tendo sofrido leves correções, serão cumulados de grandes bens, porque Deus os pôs à prova e os achou dignos de si. 6Provou-os como se prova o ouro no fogo e aceitou-os como ofertas de holocausto; 7no dia do seu julgamento hão de brilhar, correndo como centelhas no meio da palha; 8vão julgar as nações e dominar os povos, e o Senhor reinará sobre eles para sempre. 9Os que nele confiam compreenderão a verdade, e os que perseveram no amor ficarão junto dele, porque a graça e a misericórdia são para seus eleitos.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 33(34)

         — Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo!
— Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo!

— Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor; que ouçam os humildes e se alegrem!

— O Senhor pousa seus olhos sobre os justos, e seu ouvido está atento ao seu chamado; mas ele volta a sua face contra os maus, para da terra apagar sua lembrança.

— Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta e de todas as angústias os liberta. Do coração atribulado ele está perto e conforta os de espírito abatido.

EVANGELHO: Lc 17,7-10

          – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 7“Se algum de vós tem um empregado que trabalha a terra ou cuida dos animais, por acaso vai dizer-lhe, quando ele volta do campo: ‘Vem depressa para a mesa?’ 8Pelo contrário, não vai dizer ao empregado: ‘Prepara-me o jantar, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois disso poderás comer e beber?’ 9Será que vai agradecer ao empregado, porque fez o que lhe havia mandado? 10Assim também vós: quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, dizei: ‘Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer’”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Estamos terminando a quarta etapa da subida de Jesus a Jerusalém, estimulados por ele a cumprir um pouco mais do que as nossas obrigações. Temos tarefas que fazem parte da vida de cada dia. Procuramos cumpri-las para não frustrar ninguém, nem a nós mesmos. Certamente não merecemos elogio por fazer o que temos de fazer, embora sejam agradáveis uma palavra de agradecimento e um elogio. Será preciso agradecer o juiz por ter agido com justiça? Não, mas ajuda e estimula. Agradecer ao governador por tudo de bom que tem feito pelo povo fará com que ele se sinta valorizado por seu esforço, e poderá estimulá-lo, se não estiver fazendo nada. Por que então Jesus nos manda dizer que somos servos inúteis ou simples servos, depois de termos feito tudo o que nos mandaram fazer? Certamente porque é preciso fazer um pouco mais. É normal que façamos o que temos que fazer. Mas façamos um pouco mais! Até na oração. Se você se propôs a fazer quinze minutos de adoração, quando terminar, acrescente mais cinco. São Paulo, porém, recomenda aos cristãos não se gloriarem nas obras que fazem nem exigirem de Deus alguma recompensa. Não são as obras que nos salvam. Somos salvos pela fé. As obras mostram a fé que temos em Jesus Cristo. É graça o pouco mais que se faz de graça.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Diante do Deus Criador somos sempre devedores de gratidão. Assim que abrimos os olhos para este mundo estamos cercados(as) de dons que recebemos sem nenhum mérito. A vida é o grande presente.
Coloco-me na presença do Senhor dos senhores, o Deus da vida, e abro meu ser em louvor e gratidão, rezando com o salmista:
“Que todos os povos louvem a Deus com gritos de alegria! Cantem hinos de louvor a ele; ofereçam a ele louvores gloriosos. Digam isto a Deus: Como são espantosas as coisas que fazes! O mundo inteiro te adora e canta louvores a ti; todos cantam hinos em tua honra. Venham e vejam o que Deus tem feito, vejam com espanto as coisas que ele tem feito em favor das pessoas. Que todas as nações louvem o nosso Deus! Que cantem hinos de louvor em voz alta!” (cf Sl 66).

Leitura (Verdade)
“A lógica de nosso tempo é exigir recompensa por tudo o que fazemos. A lógica do Reino é a gratuidade. Trabalhar pelo Reino não pode ser visto como obrigação, mas privilégio. Um empregado não tem liberdade total, ele deve estar sintonizado com a vontade de seu senhor. Ele não pode priorizar o próprio bem-estar. O serviço é uma dimensão que deve ser assumida com gratuidade. Não se limitar ao mínimo necessário, mas ao máximo possível. Somos colaboradores de Deus, com o compromisso de ir além do simples dever. Somos servos inúteis, mas não podemos ficar ociosos. O Reino passa pelas nossas mãos. “Que recompensa haverá para nós”, perguntaram um dia os apóstolos? Deus faz tudo do seu jeito e o seu jeito é ser infinito também na recompensa.” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que esse texto diz para mim? O que sou capaz de fazer de forma gratuita, sem esperar recompensas? Assumo compromissos e serviços na comunidade que permanecem no anonimato? Sou grato(a) a Deus pelas oportunidades de servir, mesmo quando não recebo aplausos ou reconhecimento?

Oração (Vida)
Senhor Jesus, invoco tua presença para que eu possa te servir com o coração agradecido. Permaneça comigo, abençoa meus projetos de trabalho, minha vontade de fazer o bem e, que tudo o que eu fizer, até mesmo as pequenas gentilezas sejam um testemunho de minha sintonia com a tua proposta de fraternidade e de serviço gratuito em prol do teu reinado sobre toda a criação. Renova minhas forças, dá-me um coração generoso para atender com amabilidade as pessoas e não ser indiferente às necessidades delas. Especialmente, Senhor, dá-me uma fé profunda para que eu acredite na tua palavra e uma vontade forte de agir corretamente e fazer o bem sem olhar a quem. Senhor, quando eu estiver confuso(a), guia-me; quando eu me sentir fraco(a), fortalece-me; quando eu estiver cansado(a), enche-me com a luz do Espírito Santo. Amém.

Contemplação (Vida e Missão)
Contemplo a gratuidade do Criador. A grandeza do Universo; a abundância do planeta Terra e a rede de relações que me possibilita a vida. Proponho-me a colaborar para que ao meu redor se fortifiquem as relações de benquerer, de solidariedade e de serviço em prol do bem comum.

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas