Liturgia diária, Com quem vou comparar as pessoas desta geração? - Lc 7,31-35

24ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

18 de setembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, purifica-me de toda forma de orgulho que me leva a desprezar meu semelhante e a julgar-me superior a ele. Como Jesus, desejo estar próximo de quem se afastou de ti.

PRIMEIRA LEITURA: 1Tm 3,14-16

Leitura da primeira carta de são Paulo a Timóteo – Caríssimo, 12Ninguém te despreze por seres jovem. Ao contrário, torna-te modelo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade. 13Enquanto eu não chegar, aplica-te à leitura, à exortação, ao ensino. 14Não negligencies o carisma que está em ti e que te foi dado por profecia, quando a assembléia dos anciãos te impôs as mãos. 15Põe nisto toda a diligência e empenho, de tal modo que se torne manifesto a todos o teu aproveitamento. 16Olha por ti e pela instrução dos outros. E persevera nestas coisas. Se isto fizeres, salvar-te-ás a ti mesmo e aos que te ouvirem.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 110(111

          — Grandiosas são as obras do Senhor!
— Grandiosas são as obras do Senhor!

— Eu agradeço a Deus de todo o coração junto com todos os seus justos reunidos! Que grandiosas são as obras do Senhor, elas merecem todo o amor e admiração!

— Que beleza e esplendor são os seus feitos! Sua justiça permanece eternamente! O Senhor bom e clemente nos deixou a lembrança de suas grandes maravilhas.

— Ele dá o alimento aos que o temem e jamais esquecerá sua Aliança. Ao seu povo manifesta seu poder, dando a ele a herança das nações.

EVANGELHO: Lc 7,31-35

texto

          – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 31“Com quem hei de comparar os homens desta geração? Com quem eles se parecem? 32São como crianças que se sentam nas praças, e se dirigem aos colegas, dizendo: ‘Tocamos flauta para vós e não dançastes; fizemos lamentações e não chorastes!’

33Pois veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e vós dissestes: ‘Ele está com um demônio!’ 34Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e vós dizeis: ‘Ele é um comilão e beberrão, amigo dos publicanos e dos pecadores!’ 35Mas a sabedoria foi justificada por todos os seus filhos”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Os filhos da sabedoria sabem discernir a vontade de Deus. Julgamentos rápidos dirão que quem não come nem bebe tem um demônio. Foi o que disseram de João Batista. Jesus comia e bebia e dele disseram que era comilão e beberrão. E eu, afinal, o que penso, qual é a minha posição? Estou do lado de João que não come nem bebe, ou do lado de Jesus que não tem restrições alimentares? Quem está certo, quem está errado? Os fariseus raciocinavam em termos de ‘permitido’ ou ‘proibido’. O que é que Deus quer? O que é que ele permite e o que é que ele proíbe? Jesus não se sintonizava com este tipo de pergunta dos fariseus e dos escribas. Como sei, então, qual é a vontade de Deus? Olhando a Lei? A resposta está no discernimento com sabedoria. São Lucas escreve que “a sabedoria é reconhecida por todos os seus filhos”. Os filhos da sabedoria a reconhecem, sabem trabalhar com ela, sabem discernir o que tem diante de si. O discernimento sábio percebe o que é melhor aqui e agora: comer ou não comer. Percebe o que mais convém para a glória de Deus e o bem do ser humano. Na visão de Jesus, a Lei sozinha não basta para adquirir a sabedoria. Moisés nos deu a Lei, que mostra o caminho. A graça e a verdade vieram por Jesus Cristo e nos fazem andar.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Acolhamos a Palavra de Deus para o nosso dia e deixemo-nos conduzir por seus ensinamentos.
Peçamos: “Espírito Divino, luz de Deus, vinde nos iluminar para que possamos compreender o sentido profundo da Palavra de Deus. Fazei-nos discípulos missionários de Jesus, Caminho, Verdade e Vida, transformando nosso coração em terra boa, onde a Palavra produza frutos abundantes. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Quais são as palavras ou gestos de Jesus? Qual é o tema central da narrativa? Procure compreender o contexto do relato: lugares, pessoas, perguntas, imagens…
“O trecho anterior ao evangelho da liturgia de hoje é o episódio em que João Batista, da prisão, envia seus discípulos a Jesus para perguntar se, de fato, ele era o Messias prometido. Jesus responde a João citando o profeta Isaías (Lc 7,18-23). A pergunta de João mostra a sua dificuldade de discernir e compreender os sinais que revelam a identidade profunda de Jesus. A resposta de Jesus citando Isaías é suficiente para que João compreenda que, efetivamente, o ‘hoje’ da salvação se realiza na pessoa de Jesus, no seu ensinamento e nos seus gestos. Toda a atividade do Batista visava à conversão das pessoas em vista da chegada do Messias. O movimento de João Batista ganhou muitos adeptos, mas também sofreu muita resistência (cf. Lc 7,29-30). No movimento de aceitação/rejeição de João Batista é prefigurada a aceitação/rejeição de Jesus. Trata-se, aqui, de aceitar ou rejeitar o desígnio salvífico de Deus (cf. v. 30). A incredulidade dos chefes do povo é criticada na parábola dos versículos 31 e 32. Ela ilustra a rejeição da missão e da mensagem de Jesus por parte das autoridades religiosas. Falta a eles o discernimento para, em meio às vicissitudes do tempo, conhecerem a graça de Deus manifestada na pessoa de Jesus Cristo” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual convite o Senhor lhe faz?
“Nunca agradaremos a todos, isso é fato! Haverá quem nunca queira perceber o bem que fazemos. Isso não pode desanimar um evangelizador! Por isso, precisamos de uma vida de oração profunda e bem íntima com o Senhor para ter a clareza da nossa missão, independentemente do que o outro pense de nós. João Batista tinha uma vida de renúncias, e diziam ter um demônio; o Filho do Homem, ser um beberrão e comilão. Enfim, quem não quer se converter sempre tenta desmerecer os enviados de Deus. Como satisfazer gente assim? Não há como, infelizmente. Sem a abertura sincera de coração, não existe mudança possível” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
“Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade queremos aprender de Vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por Vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus, renunciando a nós mesmos, para buscar, em tudo, a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra de Deus na mente e no coração, qual atitude você se propõe a viver hoje?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas