Liturgia diária, A parábola do joio - Mt 13,36-43

17ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

30 de julho de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que as pressões dos filhos do Maligno jamais sejam suficientemente fortes para me levar a renunciar à minha condição de filho do Reino. Quero estar sempre a teu serviço.

PRIMEIRA LEITURA: Ex 33,7-11, 34,5b-9.28

Leitura do Livro do Êxodo

Naqueles dias, 7Moisés levantou a tenda e armou-a longe, fora do acampamento, e deu-lhe o nome de Tenda da Reunião. Assim, todo aquele que quisesse consultar o Senhor, saía pra a Tenda da Reunião, que estava fora do acampamento. 8Quando Moisés se dirigia para lá, o povo se levantava e ficava de pé à entrada da própria tenda, seguindo Moisés com os olhos até ele entrar. 9Logo que Moisés entrava na Tenda, a coluna de nuvem baixava e ficava parada à entrada, enquanto o Senhor falava com Moisés. 10Ao ver a coluna de nuvem parada à entrada da Tenda, todo o povo se levantava e cada um se prostrava à entrada da própria tenda. 11O Senhor falava com Moisés face a face, como um homem fala com seu amigo. Depois, Moisés voltava para o acampamento, mas o seu jovem ajudante, Josué, o filho de Nun, não se afastava do interior da Tenda.
34,5bMoisés permaneceu diante de Deus invocando o nome do Senhor. 6O Senhor passou diante de Moisés, proclamando: “O Senhor, o Senhor, Deus misericordioso e clemente, paciente, rico em bondade e fiel, 7que conserva a misericórdia por mil gerações, e perdoa culpas, rebeldias e pecados, mas não deixa nada impune, pois castiga a culpa dos pais nos filhos e netos, até à terceira e quarta geração!” 8Imediatamente, Moisés curvou-se até o chão 9e, prostrado por terra, disse: “Senhor, se é verdade que gozo de teu favor, peço-te, caminha conosco; embora este seja um povo de cabeça dura, perdoa nossas culpas e nossos pecados e acolhe-nos como propriedade tua”.
28Moisés esteve ali com o Senhor quarenta dias e quarenta noites, sem comer pão nem beber água, e escreveu nas tábuas as palavras da aliança, os dez mandamentos.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 102(103)

          —O Senhor é indulgente, é favorável.
— O Senhor é indulgente, é favorável.

— O Senhor realiza obras de justiça e garante o direito aos oprimidos; revelou os seus caminhos a Moisés, e aos filhos de Israel, seus grandes feitos.

— O Senhor é indulgente, é favorável, é paciente, é bondoso e compassivo. Não fica sempre repetindo as suas queixas, nem guarda eternamente o seu rancor. Não nos trata como exigem nossas faltas, nem nos pune em proporção às nossas culpas. Quanto os céus por sobre a terra se elevam, tanto é grande o seu amor aos que o temem;

— Quanto dista o nascente do poente, tanto afasta para longe nossos crimes. Como um pai se compadece de seus filhos, o Senhor tem compaixão dos que o temem.

EVANGELHO: Mt 13,36-43

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 36Jesus deixou as multidões e foi para casa. Seus discípulos aproximaram-se dele e disseram: “Explica-nos a parábola do joio!” 37Jesus respondeu: “Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem. 38O campo é o mundo. A boa semente são os que pertencem ao Reino. O joio são os que pertencem ao Maligno. 39O inimigo que semeou o joio é o diabo. A colheita é o fim dos tempos. Os ceifadores são os anjos. 40Como o joio é recolhido e queimado ao fogo, assim também acontecerá no fim dos tempos: 41O Filho do Homem enviará os seus anjos e eles retirarão do seu Reino todos os que fazem outros pecar e os que praticam o mal; 42e depois os lançarão na fornalha de fogo. Ali haverá choro e ranger de dentes. 43Então os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Os discípulos pediram que Jesus explicasse a parábola do joio. Aparentemente as parábolas são claras, mas é preciso ter alguma agilidade mental para perceber o seu conteúdo crítico. A parábola diz alguma coisa para alguém. Sabemos que nem todo mundo percebe a graça de uma piada ou a fineza de uma ironia. O tipo de pergunta que fazemos mostra o tipo de inteligência que temos. Isso não tem nada a ver com a maldade ou a bondade do coração das pessoas. Na explicação dada por Jesus entram em cena o Filho do Homem, o mundo, os que pertencem ao Reino, os que pertencem ao maligno, o diabo, o fim dos tempos, os anjos. No fim dos tempos, os anjos vão tirar do Reino “toda causa de pecado e os que praticam o mal”. Os justos vão brilhar como o sol. Causa de pecado são as pedras que colocamos no caminho dos outros para que caiam. Praticam o mal os que rejeitam o ensinamento de Jesus. Não basta estar no Reino ainda não definitivo. Há exigências a serem cumpridas.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Jesus é o semeador que lança a boa semente da Palavra de Deus no mundo. Todo aquele que acolhe a sua mensagem terá vida plena e, no fim dos tempos, brilhará como o sol no Reino de Deus. Acolhamos a sua Palavra para o nosso dia e deixemo-nos conduzir por seus ensinamentos.
“Espírito Divino, luz de Deus, vinde nos iluminar para que possamos compreender o sentido profundo da Palavra de Deus. Fazei-nos discípulos missionários de Jesus, Caminho, Verdade e Vida, transformando nosso coração em terra boa, onde a Palavra produza frutos abundantes. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Faça uma leitura atenta e identifique os sete elementos colocados na parábola: o semeador, o campo, a boa semente, o inimigo, o joio, os ceifadores e a colheita. Qual é a interpretação que Jesus dá para cada elemento presente na narrativa? Segundo a parábola, quem são os justos e quem são os pecadores que, no final dos tempos, serão submetidos ao julgamento? A quem Jesus está instruindo?
“A parábola do joio e do trigo recebe uma interpretação alegórica. À parte, em casa, os discípulos pedem uma explicação da parábola do joio. Trata-se de uma aplicação posterior da parábola que anteriormente explicamos. É bastante provável que a explicação da parábola não remonte a Jesus, mas às necessidades da pregação cristã posterior. Jesus explicita um a um os termos da parábola. O Filho do Homem semeia no mundo uma realidade nova, os filhos do Reino, isto é, os que se definem por sua pertença ao Reino e estão em conflito com os ‘filhos do maligno’. O acento, contudo, não é posto no conflito, mas no desfecho final. Apoiado por imagens de Sofonias 1,3 e Daniel 12,3, Jesus compara a colheita ao juízo final. O versículo final afirma que o mal não triunfará. É preciso tirar para a vida cristã a conclusão e as consequências desta afirmação. Para os cristãos perseguidos e ameaçados por causa de sua fé é preciso manter viva a esperança de que, em Cristo, o mal já foi vencido” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual apelo o Senhor dirige a você por meio desta parábola? De que forma você acolhe a Palavra em sua vida? Quais são os limites que o(a) impedem de acolher e viver os ensinamentos de Jesus?
“O joio é semeado pelo diabo, pai da mentira e da divisão, no seio da comunidade e da família. Infelizmente, dentro de cada um de nós tem um joio querendo crescer e tomar o centro das nossas decisões, semeando a maldade, a inveja, o ciúme, a rivalidade, a fofoca. O joio pode crescer disfarçado de coisa boa e só se revelar ruim no final. Por isso, temos de vigiar constantemente as nossas atitudes e começar a fazer os cortes necessários em nosso interior para sermos exclusivamente de Deus. No coração do cristão, não pode existir espaço para nenhum tipo de pecado, nenhum! Nosso coração é consagrado ao Senhor e solo fecundo onde sua Palavra encontra as condições necessárias para gerar frutos de santidade” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Agradeça tudo o que a Palavra lhe permitiu compreender e vivenciar do mistério de Cristo. Apresente ainda ao Senhor a oração que brotou em seu coração durante a leitura orante.

Contemplação (Vida e Missão)
Como você pretende viver concretamente, durante o dia, os apelos que o Senhor lhe revelou?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas