Liturgia diária, Quem são meus irmãos e minha mãe? - Lc 8,19-21

25ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

24 de setembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que minha condição de membro da grande família do Reino se expresse no meu modo de proceder. Pela disposição a amar, quero dar provas de ser teu filho.

PRIMEIRA LEITURA: Esd 6,7-8.12b.14-20

Leitura do livro do Esdras – Naqueles dias, 7Deixai continuar os trabalhos da casa de Deus; que o governador dos judeus e seus anciãos reconstruam-na no seu lugar. 8Também ordeno como é que se deve proceder com aqueles anciãos dos judeus, tendo em vista a reconstrução da mencionada casa de Deus: das receitas reais provenientes dos impostos de além-rio, a despesa será fielmente paga a esses homens, a fim de que a obra não sofra interrupção. 12O Deus que fez habitar ali o seu nome destrua todo rei, todo povo que ousar fazer qualquer coisa para mudar este decreto e destruir essa casa de Deus que está em Jerusalém! Eu, Dario, dei esta ordem: seja ela pontualmente executada. 14Os anciãos dos judeus puseram-se a construir o templo e fizeram progresso, sustentados pelas profecias de Ageu, o profeta, e de Zacarias, filho de Ado. Prosseguiram a construção, segundo a ordem do Deus de Israel, e segundo a ordem de Ciro, de Dario e de Artaxerxes, rei da Pérsia. 15Terminou-se o edifício no terceiro dia do mês de Adar no sexto ano do reinado de Dario. 16Os israelitas, os sacerdotes, os levitas e os demais repatriados celebraram com júbilo a dedicação dessa casa de Deus. 17Ofereceram, por ocasião dessa dedicação, cem touros, duzentos carneiros, mil e quatrocentos cordeiros e doze bodes como vítimas pelos pecados de todo Israel, segundo o número das tribos de Israel. 18Estabeleceram os sacerdotes segundo as suas classes, e os levitas segundo suas divisões, para celebrar o culto de Deus em Jerusalém, de conformidade com as prescrições do livro de Moisés. 19Os repatriados celebraram a Páscoa no dia catorze do primeiro mês. 20Os sacerdotes e os levitas, sem exceção, tinham-se purificado; todos estavam puros. Imolaram a Páscoa por todos os repatriados, pelos seus irmãos, os sacerdotes, e por si mesmos

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 121(122)

          — Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”
— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Que alegria, quando ouvi que me disseram: “Vamos à casa do Senhor!” E agora nossos pés já se detêm, Jerusalém, em tuas portas.

— Jerusalém, cidade bem edificada num conjunto harmonioso; para lá sobem as tribos de Israel, as tribos do Senhor.

— Para louvar, segundo a lei de Israel, o nome do Senhor. A sede da justiça lá está e o trono de Davi.

EVANGELHO: Lc 8,19-21

          – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 19A mãe e os irmãos de Jesus foram procurá-lo, mas não podiam chegar-se a ele por causa da multidão. 20Foi-lhe avisado: Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e desejam ver-te. 21Ele lhes disse: Minha mãe e meus irmãos são estes, que ouvem a palavra de Deus e a observam.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

A resposta de Jesus às pessoas que lhe comunicam que sua mãe e seus irmãos estão à sua procura parece um pouco brusca na relação de um filho com sua mãe. Na realidade, Jesus está afirmando ao menos duas coisas. Primeiro, que sua família é mais ampla do que a família de sangue. Ela é constituída por todos aqueles que ouvem e praticam a Palavra de Deus. E depois, ao dizer que sua Mãe e seus irmãos são os que ouvem e praticam a Palavra de Deus, não está dizendo que Maria e seus irmãos não ouvem e não praticam a Palavra de Deus. A afirmação de uma coisa não é negação de outra. É sua mãe quem ouve e pratica a Palavra de Deus. Maria é sua Mãe. Logo, Maria ouve e pratica a Palavra de Deus. Este raciocínio nem precisa ser feito. As Escrituras não falam muito de Maria, mas o que falam é suficiente para saber quem ela é. Foi quando ela disse “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”, que o Verbo se fez carne. A fidelidade a seu Filho, Jesus Cristo, a levou até aos pés da cruz, onde a Mãe dolorosa ficou firme, de pé. Ela é por excelência aquela que ouve a Palavra e a põe em prática. O seu “sim” a Deus brota do seu coração num ato constante e perfeito de obediência. Nós somos membros da família de Jesus. O exemplo de Maria nos faz dizer “sim” à vontade do Pai. Nós nos abandonamos a Deus e entregamos nossa vida em suas mãos com infinita confiança. Ele é nosso Pai, o Pai dessa grande família na qual somos filhos e irmãos.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
O Evangelho da liturgia de hoje nos convida a refletir sobre a relação familiar que é estabelecida entre Jesus e aqueles que acolhem a sua Palavra. Para bem acolhermos os seus ensinamentos, peçamos: “Ó divino Espírito, ensina-me tudo quanto Jesus ensinou. Dá-me inteligência para entender; memória para lembrar; vontade dócil para praticar; coração generoso para corresponder aos teus convites. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Quais personagens estão presentes na narrativa? Qual é o ensinamento de Jesus? Quem é considerado irmão, irmã e mãe de Jesus?
“A visita da família de Jesus é, para ele, uma ocasião de ensinar os seus discípulos acerca do específico da comunidade cristã (cf. Lc 6,46-49). Não é uma visita de cortesia. Marcos, no seu evangelho, informa a razão da visita: pensavam que estivesse fora de si (Mc 3,21). No evangelho de João, são os adversários de Jesus que têm essa opinião a respeito dele (Jo 10,10-20). Aproveitando a ocasião e ignorando a intenção de sua parentela, Jesus ensina que a pertença ao povo que ele reúne não se dá pela descendência do sangue, mas por uma atitude que engaja o discípulo no dinamismo da escuta e da prática da Palavra de Deus (cf. Lc 6,46-47). Mais adiante no relato evangélico, àquela mulher que, admirada pelas palavras de Jesus, gritou: ‘felizes as entranhas que geraram e os seios que te amamentaram’, Jesus respondeu: ‘Felizes são os que ouvem a Palavra de Deus e a praticam’ (Lc 11,27-28). A mãe de Jesus passou a ser, na tradição da Igreja, modelo do discípulo porque ela é a mulher que escutou a Palavra de Deus e a praticou (Lc 1,38). No centro da vida cristã deve estar a Palavra de Deus. Em Jesus, Verbo de Deus, a Palavra de Deus adquire todo o seu sentido e é uma fonte de verdadeira vida e luz para os passos” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? De que forma sua família vive a fé? Vocês formam uma família edificada sobre a Palavra de Deus? A Palavra de Deus está no centro da sua vida?
“Jesus faz questão de deixar claro que os laços que os unem à sua missão não são os de consanguinidade. A relação de pertença, doravante, à família de Jesus é mediante o batismo e por ouvir e colocar em prática a Palavra de Deus. Em momento algum Jesus despreza sua família de laços de sangue. Também nunca desprezou sua santa mãe. Mas a força de sua palavra está em romper com uma ideologia segundo a qual só um povo iria se salvar (família), mas a salvação é universal. A salvação não está mais ligada ao sangue judeu. Maria é aquela que, por excelência, faz a vontade do Pai. Por isso, ela não foi desprezada pelo filho. O critério de pertencimento à família de Deus é a fé em Jesus Cristo” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
“Jesus, princípio e realização do homem novo, convertei a Vós os nossos corações, para que, deixando as sendas do erro, sigamos os vossos passos no caminho que conduz à vida. Fazei que, fiéis às promessas do batismo, vivamos, com coerência, a nossa fé, testemunhando com solicitude a vossa palavra, para que, na família e na sociedade, resplandeça a luz vivificante do Evangelho. Louvor e glória a Vós, ó Cristo, hoje e para sempre. Jesus, poder e sabedoria de Deus, acendei em nós o amor à Sagrada Escritura, onde ressoa a voz do Pai, que ilumina e abrasa, nutre e consola. Vós, Palavra de Deus Vivo, renovai na Igreja o ardor missionário, para que todos os povos cheguem a conhecer-vos como verdadeiro Filho de Deus e verdadeiro Filho do homem, único Mediador entre o homem e Deus. Louvor e glória a Vós, ó Cristo, hoje e para sempre. Jesus, fonte de unidade e de paz, fortalecei a comunhão na vossa Igreja, para que, pela força do vosso Espírito, todos os vossos discípulos sejam um só. Vós que nos destes como regra de vida o mandamento novo do amor, tornai-nos construtores de um mundo solidário, onde a guerra seja suplantada pela paz, a cultura da morte, pelo empenho em favor da vida. Amém” (São João Paulo II).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual é a aplicação da Palavra em sua vida? O que você se propõe a viver hoje? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas