Liturgia diária, Sereis presos e perseguidos! - Lc 21,12-19

34ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

27 de novembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, dá-me uma fé profunda que me possibilite perseverar nos momentos de dificuldade, sem abrir mão da tarefa que recebi: levar adiante o projeto de Jesus.

PRIMEIRA LEITURA: Dn 5,1-6.13-14.16-17.23-28

Leitura da Profecia de Daniel

Naqueles dias, 1o rei Baltazar ofereceu um grande banquete aos mil dignitários de sua corte, tomando vinho em companhia deles. 2Já embriagado, Baltazar mandou trazer os vasos de ouro e prata, que seu pai Nabucodonosor tinha tirado do templo de Jerusalém, para beberem deles o rei e os grandes do reino, suas mulheres e concubinas.

3Foram, pois, trazidos os vasos de ouro e prata, retirados do templo de Jerusalém, e deles se serviram o rei e os grandes do reino, suas mulheres e concubinas; 4bebiam vinho e engrandeciam seus deuses de ouro e prata, de bronze e ferro, de madeira e pedra. 5Naquele mesmo instante, apareceram dedos de mão humana que iam escrevendo, diante do candelabro, sobre a superfície da parede do palácio, e o rei via os dedos da mão que escrevia. 6Alterou-se o semblante do rei, confundiram-se suas idéias e ele sentiu vacilarem os ossos dos quadris e tremerem os joelhos.

13Então Daniel foi introduzido à presença do rei, e este lhe disse: “És tu Daniel, um dos cativos de Judá, trazidos de Judá pelo rei, meu pai? 14Ouvi dizer que possuis o espírito dos deuses, e que em ti se acham ciência, entendimento e sabedoria em grau superior. 16Ora, ouvi dizer também que sabes decifrar coisas obscuras e deslindar assuntos complicados; se, portanto, conseguires ler o escrito e dar-me sua interpretação, tu te vestirás de púrpura, e levarás ao pescoço um colar de ouro, e serás o terceiro homem do reino”. 17Em resposta, disse Daniel perante o rei: “Fiquem contigo teus presentes e presenteia um outro com tuas honrarias; contudo, vou ler, ó rei, o escrito e fazer-te a interpretação. 23Tu te levantaste contra o Senhor do céu; os vasos de sua casa foram trazidos à tua presença e deles bebestes vinho, tu e os grandes do reino, suas mulheres e concubinas; ao mesmo tempo, celebravas os deuses de prata e ouro, de bronze e ferro, de madeira e pedra, deuses que não veem nem ouvem, e nada entendem — e ao Deus, que tem em suas mãos tua vida e teu destino, não soubeste glorificar. 24Por isso, foram mandados por ele os dedos da mão, que fez este escrito. 25Assim se lê o escrito que foi traçado: mâne, técel, pársin. 26E esta é a explicação das palavras: mâne: Deus contou os dias de teu reinado e deu-o por concluído; 27técel: foste pesado na balança, e achado com menos peso; 28pársin: teu reino foi dividido e entregue aos medos e persas”.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO Dn 3,62-63

         — Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!
— Louvai-o e exaltai-o pelos séculos sem fim!

— Lua e sol, bendizei o Senhor!
— Astros e estrelas, bendizei o Senhor!
— Chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor!
— Brisas e ventos, bendizei o Senhor!
— Fogo e calor, bendizei o Senhor!
— Frio e ardor, bendizei o Senhor!

EVANGELHO: Lc 21,12-19

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12“Antes que estas coisas aconteçam, sereis presos e perseguidos; sereis entregues às sinagogas e postos na prisão; sereis levados diante de reis e governadores por causa do meu nome. 13Esta será a ocasião em que testemunhareis a vossa fé. 14Fazei o firme propósito de não planejar com antecedência a própria defesa; 15porque eu vos darei palavras tão acertadas, que nenhum dos inimigos vos poderá resistir ou rebater. 16Sereis entregues até mesmo pelos próprios pais, irmãos, parentes e amigos. E eles matarão alguns de vós. 17Todos vos odiarão por causa do meu nome. 18Mas vós não perdereis um só fio de cabelo da vossa cabeça. 19É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida!

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Descrevendo a ruína de Jerusalém e anunciando o fim do mundo, o evangelista anuncia o “tempo do testemunho da Igreja”. Os seguidores de Jesus formam uma comunidade, que chamam de Igreja. Ela experimentará tribulações como as vividas nos dias da destruição da Cidade Santa e de seu Templo, e as anunciadas para o fim dos tempos. Pela perseverança, os cristãos salvarão a própria vida, lemos no Evangelho. Mais uma vez somos chamados a depositar nossa confiança em Deus e não nos cavalos, como diz o salmista. Vivemos situações de violência, mas não somos a favor das guerras nem das armas, tampouco de uma paz inerte. Tempos atrás, nas tribulações contemporâneas, falávamos de firmeza permanente. Somos ativamente contra a violência, levamos avante com firmeza nossas convicções sobre os valores humanos e divinos propostos por Cristo e seu Evangelho. Estamos dispostos a combater o bom combate, como fez o apóstolo Paulo, completando a corrida e guardando a fé. Nenhum fio de cabelo cairá da nossa cabeça e nossa boca dirá palavras acertadas. Tudo será ocasião para darmos testemunho da nossa esperança.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
O Evangelho deste dia vem confirmar que a paz do cristão é uma paz inquieta. Ser cristão é caminhar na estrada de Jesus e o caminho dele foi cheio de contradições. Neste momento, recolho-me em disposição de abertura à ação do Espírito Santo e rezo: “Senhor, em ti confia meu coração. Em teu amor se nutre meu espírito. Por tua compaixão cura-me; dá-me força para superar as dificuldades, luz para ser tua testemunha e confiança para perseverar até o fim”.

Leitura (Verdade)
Faça uma leitura atenta do Evangelho, quantas vezes julgar necessário, e identifique seu tema central. Quais sãos os ensinamentos de Jesus? O que significa ser testemunha?
“Perguntaram a um crente, Jacques Maritain: ‘A crise na Igreja não o assusta? ’. Ele respondeu: ‘É ingenuidade falar de crise na Igreja. Ela nasceu da grande crise da Sexta-Feira Santa e continuará em crise até o fim do mundo’. A vocação da Igreja e de seus filhos é andar na contramão, como Jesus andou. Um dia, o mundo se dará conta de que a suposta contramão era a via preferencial. A Igreja experimenta também a crise que surge de seus filhos e filhas. Santa e pecadora, a Igreja tem a garantia dada pela presença do Espírito Santo. A missão profética da Igreja lhe trará sempre perseguições. O Pai conhece cada um dos seus. Nem um fio de cabelo se perderá.” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim? Confio no meu Senhor diante dos tropeços e dificuldades de minha missão? Escuto o que Jesus me diz e, confiante na presença do Espírito, identifico o caminho que Ele me aponta.

Oração (Vida)
O que este texto me leva dizer a Deus? Que sentimentos esse Evangelho suscita em meu coração?
“Senhor, liberta-me do medo das criticas quando procuro seguir teu caminho. Liberta-me do medo de praticar a justiça. Dá-me coragem para te testemunhar diante dos amigos e dos inimigos. Fortaleça-me com teu Santo Espírito, envolva-me com tua bondade para que eu possa levar até o fim meus bons propósitos”.

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em mim, a partir da Palavra? Como pretendo viver concretamente, durante o dia, o apelo que o Senhor me revelou?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas