Liturgia diária, A tua fé te salvou - Lc 18,35-43

33ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

18 de novembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, infunde em mim uma fé profunda como a do pobre cego, cujo desejo de ser curado por Jesus levou-o a se abrir para a verdadeira visão que leva à salvação.

PRIMEIRA LEITURA: 1Mc 1,10-15.41-43.54-57.62-64

Leitura do Primeiro Livro dos Macabeus

Naqueles dias, 10brotou uma raiz iníqua, Antíoco Epífanes, filho do rei Antíoco. Estivera em Roma, como refém, e subiu ao trono no ano cento e trinta e sete da era dos gregos. 11Naqueles dias, apareceram em Israel pessoas ímpias, que seduziram a muitos, dizendo: “Vamos fazer uma aliança com as nações vizinhas, pois, desde que nos isolamos delas, muitas desgraças nos aconteceram”. 12Estas palavras agradaram, 13e alguns do povo entusiasmaram-se e foram procurar o rei, que os autorizou a seguir os costumes pagãos. 14Edificaram em Jerusalém um ginásio, de acordo com as normas dos gentios. 15Aboliram o uso da circuncisão e renunciaram à aliança sagrada. Associaram-se com os pagãos e venderam-se para fazer o mal. 41Então o rei Antíoco publicou um decreto para todo o reino, ordenando que todos formassem um só povo, obrigando cada um a abandonar seus costumes particulares. 42Todos os pagãos acataram a ordem do rei 43e inclusive muitos israelitas adotaram sua religião, sacrificando aos ídolos e profanando o sábado. 54No dia quinze do mês de Casleu, no ano cento e quarenta e cinco, Antíoco fez erigir sobre o altar dos sacrifícios a Abominação da desolação. E pelas cidades circunvizinhas de Judá construíram altares. 53Queimavam incenso junto às portas das casas e nas ruas. 56Os livros da Lei, que lhes caíam nas mãos, eram atirados ao fogo, depois de rasgados. 57Em virtude do decreto real, era condenado à morte todo aquele em cuja casa fosse encontrado um livro da Aliança, assim como qualquer pessoa que continuasse a observar a Lei. 62Mas muitos israelitas resistiram e decidiram firmemente não comer alimentos impuros. 63Preferiram a morte a contaminar-se com aqueles alimentos. E, não querendo violar a aliança sagrada, esses foram trucidados. 64Uma cólera terrível se abateu sobre Israel.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 118(119)

         — Vivificai-me, ó Senhor, e guardarei vossa Aliança!
— Vivificai-me, ó Senhor, e guardarei vossa Aliança!

— Apodera-se de mim a indignação, vendo que os ímpios abandonam vossa lei.

— Mesmo que os ímpios me amarrem com seus laços, nem assim hei de esquecer a vossa lei.

— Libertai-me da opressão e da calúnia, para que eu possa observar vossos preceitos!

— Meus opressores se aproximam com maldade; como estão longe, ó Senhor, de vossa lei!

— Como estão longe de salvar-se os pecadores, pois não procuram, ó Senhor, vossa vontade!

— Quando vejo os renegados, sinto nojo, porque foram infiéis à vossa lei.

EVANGELHO: Lc 18,35-43

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

35Quando Jesus se aproximava de Jericó, um cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmolas. 36Ouvindo a multidão passar, ele perguntou o que estava acontecendo. 37Disseram-lhe que Jesus Nazareno estava passando por ali. 38Então o cego gritou: “Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!” 39As pessoas que iam na frente mandavam que ele ficasse calado. Mas ele gritava mais ainda: “Filho de Davi, tem piedade de mim!” 40Jesus parou e mandou que levassem o cego até ele. Quando o cego chegou perto, Jesus perguntou: 41“Que queres que eu faça por ti?” O cego respondeu: “Senhor, eu quero enxergar de novo”. 42Jesus disse: “Enxerga, pois, de novo. A tua fé te salvou”. 43No mesmo instante, o cego começou a ver de novo e seguia Jesus, glorificando a Deus. Vendo isso, todo o povo deu louvores a Deus.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Na sexta e última etapa da subida para Jerusalém, Jesus se aproxima de Jericó. Informado de que era Jesus quem estava passando, um mendigo, que era cego, se pôs a gritar: “Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim!”. O cego sabia quem era Jesus. Não o tinha visto, por ser cego, mas ouvira falar dele. Jesus era conhecido e comentado, e já havia perguntado aos discípulos o que as pessoas, e eles próprios, diziam a respeito dele. Jesus pede que lhe tragam o cego e se coloca à sua disposição. Sem se impor, pergunta-lhe: “Que queres que eu te faça?”. O que posso fazer por você? Jesus deixa o homem livre para dar a resposta que quiser. O homem não era cego de nascença e pediu para recuperar a visão. Como em outros casos, também ele foi salvo pela fé. Reconhecendo que Jesus é o Filho de Davi, apelou para a sua compaixão. Repita muitas vezes com o cego: “Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim!”. E que a compaixão do coração de Cristo se instale em seu coração.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Senhor Jesus, como este cego que o Evangelho me apresenta eu também suplico a cura da minha cegueira. Cegueira essa que me impede de te conhecer e reconhecer nos incontáveis acontecimentos de minha vida. “Senhor que eu veja!” Que eu veja teu imenso amor por mim e por meus irmãos e irmãs de caminhada. Que eu seja agradecido(a) por todos os gestos de amor que derramas sobre mim e sobre a humanidade que te busca, como que, as apalpadelas. Rezo com o salmista: “Senhor meu Deus, tu és meu Deus; eu te procuro com ardor e todo o meu ser te deseja. Eu tenho sede de ti, como uma terra seca e sem água. Quero ver-te no Templo, quero ver como és poderoso e glorioso.” (Sl 63,2-3).

Leitura (Verdade)
“São inúmeros os cegos que um dia encontraram Jesus, assim como surdos, mudos e paralíticos. As curas são sinais de libertação. Depois de curados, eles seguem Jesus. O cego do texto de hoje estava no lugar certo, no momento certo e com a postura certa. Ele não quer permanecer à margem do caminho e à margem da sociedade. A comunidade nada faz por ele e, mesmo, pretende que ele se cale. Este cego enxerga, comenta Santo Agostinho, pois reconhece em Jesus, por primeiro, um descendente de Davi. E sua oração é maravilhosa: “Senhor, que eu veja de novo!”. Ele recuperou a visão física e qualificou a visão da fé. A narrativa termina dizendo que ele começou a seguir Jesus e a glorificar a Deus.” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O Cego à beira do caminho é excluído da sociedade religiosa ou não tem clareza sobre quem é Jesus. É possível supor que houve um tempo em que ele estava inserido na comunidade, mas por algum motivo foi excluído ou ele via Jesus, mas, não sabia bem quem ele era, pois, o Evangelho diz claramente que ele quer ver “de novo”. “Ver de novo”, pode significar, então, que ele voltou a ser incluído na comunidade, como também, pode significar que ele começou a ver Jesus de outra forma, sob outro aspecto, como por exemplo, o verdadeiro caminho para se chegar a Deus Pai. Ele passou a ver Jesus como o enviado de Deus para nos orientar no caminho da salvação. Ver de novo o que a gente não viu bem ou não tem tanta certeza é muito importante para não erar o caminho, assim, como o foi para esse cego de que nos fala o Evangelho de Lucas no capítulo 18, 35-43. Termina dizendo que o cego se levantou e dando glória a Deus foi seguindo Jesus. E todos os que viram isso também, começaram a louvar a Deus. Diz muito bem o ditado: “ A palavra comove, mas, o exemplo arrasta”.

Oração (Vida)
Querido Jesus faça-me ver de novo. Quero ser inserido(a) entre os que te conhecem como o Filho de Deus e te seguem no caminho do bem, da verdade e da vida. Faça Senhor que te vendo com a fé mais pura e seguindo-te com o amor mais ardente eu também possa arrastar outros para ti. Quero ver as pessoas e os acontecimentos com a visão de Deus.

Contemplação (Vida e Missão)
Fecho meus olhos da carne e abro bem os olhos do espírito, para contemplar-te Senhor Jesus, como um cego(a) a quem concedeste a graça de enxergar de novo, de ver-te com o olhar amoroso da fé e colocar-me a caminho para atrair outros para ti.

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas