Liturgia diária, São Joaquim e Santa Ana - Mt 13,16-17

16ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

23 de julho de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, dobra a dureza do meu coração que me impede de ouvir e compreender a palavra de teu Filho. Faze-me penetrar nos mistérios do Reino escondido nas parábolas.

PRIMEIRA LEITURA: Eclo 44,1.10-15

Leitura do livro do Eclesiástico – 1Façamos o elogio dos homens ilustres, que são nossos antepassados, em sua linhagem. 10Os primeiros, porém, foram homens de misericórdia; nunca foram esquecidas as obras de sua caridade. 11Na sua posteridade permanecem os seus bens. 12Os filhos de seus filhos são uma santa linhagem, e seus descendentes mantêm-se fiéis às alianças. 13Por causa deles seus filhos permanecem para sempre, e sua posteridade, assim como sua glória, não terá fim. 14Seus corpos foram sepultados em paz, seu nome vive de século em século. 15Proclamem os povos sua sabedoria, e cante a assembléia os seus louvores! 

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 131(132)

 — O Senhor vai dar-lhe o trono de seu pai, o rei Davi.
— O Senhor vai dar-lhe o trono de seu pai, o rei Davi.

— O Senhor fez a Davi um juramento, uma promessa que jamais renegará: “um herdeiro que é fruto do teu ventre colocarei sobre o trono em teu lugar!”

— Pois o Senhor quis para si Jerusalém e a desejou para que fosse sua morada: “Eis o lugar do meu repouso para sempre, eu fico aqui: este é o lugar que preferi!”

— “De Davi farei brotar um forte herdeiro, acenderei ao meu ungido uma lâmpada. Cobrirei de confusão seus inimigos, mas sobre ele brilhará minha coroa!”

EVANGELHO: Mt 13,16-17

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 16“Felizes sois vós, porque vossos olhos vêem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejavam ver o que vedes, e não viram, desejavam ouvir o que ouvis, e não ouviram”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

São Joaquim e Sant’Ana são os pais de Nossa Senhora e os avós maternos de Jesus. Seus olhos viram e seus ouvidos ouviram o que muitos profetas desejaram ver. Viram a redenção de Israel e ouviram o sim de sua filha em resposta ao chamado de Deus. O que sabemos deles está escrito no livro apócrifo do século I, o Protoevangelho de Tiago. Nele se lê que Ana e Joaquim estavam muito bem de vida, mas não tinham filhos. Por causa disso, Joaquim chegou a ser impedido de apresentar sua oferta no Templo. Era o único entre os seus nessa situação. Lembrado do nascimento milagroso de Isaac, retirou-se para o deserto, onde ficou em penitência e oração quarenta dias e quarenta noites. Ana chorava e rezava. Um anjo revelou a eles que suas preces tinham sido atendidas, e Ana deu à luz uma menina a quem chamou de Maria. Era o dia 8 de setembro, segundo o calendário atual. Tinham uma casa em Jerusalém, ao lado da piscina de Betesda, onde hoje se encontra a Basílica de Sant’Ana. São padroeiros dos avós e ajudam os casais que desejam ter filhos. A esperança dos homens de bem não se acaba. Sua herança passa de filhos a netos. Graças a eles, filhos e netos continuam fiéis à Aliança. Dizia o Papa Francisco que um povo que não respeita os avós está sem memória e também sem futuro. Eles nos trazem a história e têm força dentro de si para nos dar uma herança nobre. E lembremo-nos de que também seremos idosos. O lugar do nascimento de Maria foi confiado à comunidade cristã russa, que o conserva.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
No dia em que celebramos a memória litúrgica de São Joaquim e Sant’Ana, pais de Nossa Senhora, vamos acolher a Palavra de Deus para a nossa vida e aquilo que o Senhor nos comunica, em seu amor e sua misericórdia. Fiquemos em comunhão de oração por nossos avós, pelos vivos e falecidos, recordando agradecidos sua presença em nossa vida. Rezemos: “Senhor Jesus Cristo, envia sobre nós, como prometeste, teu Espírito Santo. Que Ele nos conceda a vida e nos ensine a plenitude da verdade. Que nele encontremos a salvação, a felicidade e a plenitude de amor. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Faça uma leitura atenta desse pequeno trecho bíblico e procure compreender o significado de cada palavra. Detenha-se nos dois elementos presentes no texto: olhos que veem e ouvidos que ouvem. O ato de ver e ouvir, no texto, está relacionado a quem ou a quê? De que forma você compreende o trecho: “Muitos profetas e justos desejaram ver o que estais vendo, e não viram; desejaram ouvir o que estais ouvindo, e não ouviram”?
“O evangelho de hoje é a sequência da resposta de Jesus à pergunta dos discípulos pela razão do ensinamento em parábolas às multidões (v. 10). Vale ressaltar que o verbo compreender utilizado nos versículos 13, 14 e 15 não tem, em primeiro lugar, um sentido intelectual estrito, mas designa disponibilidade e abertura; implica partilhar os mesmos valores e o estilo de vida de Jesus. A bem-aventurança expressa em nosso texto diz respeito à pessoa de Jesus. Ver os dias do Messias, ver o próprio Messias, foi o desejo de muitos profetas e de todos os que esperavam a realização da promessa de Deus. Para quem ouve Jesus e se deixa envolver por seu ensinamento, o tempo da espera acabou, pois o que eles veem e ouvem é a realização da promessa de Deus e do anseio de todo o povo de Israel que esperava a salvação. O velho Simeão, porta-voz de toda a esperança de Israel, pôde, cheio do Espírito Santo, exprimir muito bem a graça do tempo presente: ‘Agora, Soberano Senhor, podeis deixar o Vosso servo ir em paz […] porque os meus olhos viram a tua salvação’ (Lc 2,29-30)” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“A liturgia de hoje nos convida a celebrar a memória de São Joaquim e Sant’Ana, pais de Nossa Senhora e avós do Senhor Jesus. Dos evangelhos que nos narram a infância de Cristo – Mateus e Lucas –, nada se pode deduzir a respeito dos avós do Senhor. É com base em um escrito não canônico de meados do século II d.C., o Protoevangelho de Tiago, que os primeiros cristãos passaram a conhecer o nome deles. Que hoje possamos pensar na nossa família, rezar por ela e pedir a Deus que nos ajude a manter unidos todos nossos familiares! ‘Ana, fecunda raiz, que de Jessé germinou, produz o ramo florido do qual o Cristo brotou. Mãe da mãe santa de Cristo, e tu, Joaquim, santo pai, pelas grandezas da filha, nosso pedido escutai’.” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Apresente ao Senhor a oração que brotou em seu coração. Entregue a Ele os propósitos que a Palavra do dia o(a) convida a viver. Reze também pelos avós, agradecendo o dom de suas vidas e pedindo as graças de Deus para cada um deles.
“Deus de bondade, Pai, Filho, Espírito Santo, nós te agradecemos por nos teres dado nossos queridos avós. Obrigado, Senhor, por suas histórias bonitas, palavras amigas, conselhos, carinho e amor por nós. Nós agradecemos o ombro amigo, a cumplicidade com nossas brincadeiras, seus passos ao ritmo dos nossos, o colo macio e o olhar sereno, cheio de bondade. Nós te pedimos para estas pessoas a quem tanto amamos muita saúde, paz e alegria. Pedimos para elas a graça de serem fiéis em cumprir a vontade de Deus, na alegria e nos sofrimentos, como o foram Joaquim e Ana. Nós te pedimos, Senhor, que os abençoes com a mesma ternura com que nos abençoam. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você a partir da Palavra? Quais apelos o Evangelho despertou em seu coração? Que compromissos você deseja assumir em sua vida?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas