3ª Semana da Páscoa – Ano Litúrgico C

23 de abril de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que eu saiba reconhecer-te na pessoa de Jesus, expressão consumada de teu amor misericordioso por todos os que desejam estar perto de ti.

PRIMEIRA LEITURA:  At 13,44-52

Leitura dos Atos dos Apóstolos – 44No sábado seguinte, quase toda a cidade se reuniu para ouvir a palavra de Deus. 45Ao verem aquela multidão, os judeus ficaram cheios de inveja e, com blasfêmias, opunham-se ao que Paulo dizia.
46Então, com muita coragem, Paulo e Barnabé declararam: “Era preciso anunciar a palavra de Deus primeiro a vós. Mas, como a rejeitais e vos considerais indignos da vida eterna, sabei que nos vamos dirigir aos pagãos. 47Porque esta é a ordem que o Senhor nos deu: ‘Eu te coloquei como luz para as nações, para que leves a salvação até os confins da terra’”.
48Os pagãos ficaram muito contentes, quando ouviram isso, e glorificaram a Palavra do Senhor. Todos os que eram destinados à vida eterna, abraçaram a fé. 49Desse modo, a palavra do Senhor espalhava-se por toda a região. 50Mas os judeus instigaram as mulheres ricas e religiosas, assim como os homens influentes da cidade, provocaram uma perseguição contra Paulo e Barnabé e expulsaram-nos do seu território. 51Então os apóstolos sacudiram contra eles a poeira dos pés, e foram para a cidade de Icônio. 52Os discípulos, porém, ficaram cheios de alegria e do Espírito Santo. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 97

— Os confins do mundo contemplaram a salvação do nosso Deus.
— Os confins do mundo contemplaram a salvação do nosso Deus.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.

— O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.

— Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai!

EVANGELHO: Jo 14,7-14

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 7“Se vós me conhe­cêsseis, conheceríeis também o meu Pai. E desde agora o conhe­ceis e o vistes”. 8Disse Filipe: “Senhor, mostra-nos o Pai, isso nos basta!”
9Jesus respondeu: “Há tanto tempo estou convosco, e não me conheces Filipe? Quem me viu, viu o Pai. Como é que tu dizes: ‘Mostra-nos o Pai”? 10Não acreditas que eu estou no Pai e o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo, mas é o Pai que, permanecendo em mim, realiza as suas obras.
11Acreditai-me: eu estou no Pai e o Pai está em mim. Acreditai, ao menos, por causa destas mesmas obras. 12Em verdade, em verdade vos digo, quem acredita em mim fará as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas. Pois eu vou para o Pai, 13e o que pedirdes em meu nome, eu o realizarei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. 14Se pedirdes algo em meu nome, eu o realizarei.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Quem me viu, viu o Pai. Jesus é judeu, pertence ao povo de Israel que proclama ao mundo da idolatria que há um só Deus e não pode haver mais do que um. Filósofos pagãos também chegaram a essa conclusão com observações práticas e raciocínios teóricos, e afirmaram a existência de um primeiro motor imóvel. Na realidade, porém, ninguém jamais viu esse único Deus, sendo este o desejo profundo de todos os que nele creem: ver a face do Senhor. Os pais de Israel experimentaram e ouviram Deus em sua presença reveladora, mas não o viram face a face, embora se diga de Moisés que em Israel nunca mais surgiu um profeta como ele, a quem o Senhor conhecia face a face. O Deuteronômio diz que o Senhor conhecia Moisés face a face e não o contrário. Eis senão quando, Jesus, o homem de Nazaré afirma categoricamente: Quem me viu, viu o Pai. Eu estou no Pai e o Pai está em mim. Quem me vê, vê aquele que me enviou. Não é somente homem Jesus de Nazaré. É Deus como o Pai?

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
No início da nossa leitura orante, peçamos ao Espírito Santo a graça de compreender o mistério da vida de Cristo que a Palavra hoje nos apresenta: a sua relação com o Pai.
Rezemos: “Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Que a Palavra transforme o meu coração através da fé e da confiança que eu deposito em ti. Amém”.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Leia-o e procure perceber qual o contexto do relato evangélico. Quais são as palavras ou gestos de Jesus? Qual tema perpassa a discussão dos personagens? De que forma Jesus manifesta o Pai?
“Jesus é surpreendido com o pedido de Filipe: ‘Senhor, mostra-nos o Pai, isso nos basta’. Filipe e os demais discípulos deveriam já ter compreendido que tudo quanto o Mestre ensinava e realizava eram expressões do Pai. Essa era a trilha a ser seguida para chegar até ele.
As palavras do Mestre correspondiam, em tudo, ao que o Pai pretendia comunicar à humanidade. O Pai falava por meio dele. Escutá-lo, portanto significava escutar o Pai. As ações do Mestre, igualmente, correspondiam ao que o Pai desejava fazer em benefício da humanidade. O Pai amava a humanidade por meio do Filho. Todos os gestos de bondade do Filho expressavam a bondade divina. O Filho tinha a missão de revelar o Pai e o fazia de maneira facilmente compreensível por qualquer pessoa” (Trecho do livro “Dia a dia nos passos de Jesus – ano B”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Qual mensagem a Palavra de Deus revela a você hoje? Você crê que Jesus revela o Pai? Como vive a sua fé no Filho de Deus, que veio ao mundo e é o Caminho para o Pai?
A falta de fé impediu Filipe de entender que estar diante de Jesus é estar diante de Deus. Também nós podemos estar vivendo essa mesma dificuldade. Filipe teve que fazer o longo e duro percurso da fé para poder compreender que Jesus é o enviado e revela o Pai. Somente por meio de Jesus conhecemos o Pai, e as obras que Ele realiza dão testemunho de que o Pai está nele.

Oração (Vida)
Agradeça tudo o que a Palavra lhe permitiu compreender e experimentar do mistério de Cristo. Apresente ainda ao Senhor a oração que brotou em seu coração durante a leitura orante.
“Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho unigênito de Deus, vindo ao mundo para dar às pessoas a vida em plenitude. Nós vos louvamos e agradecemos, porque morrestes na cruz para obter-nos a vida divina que nos comunicais no Batismo e alimentais com a Eucaristia e os outros sacramentos. Vivei em nós, Jesus, pelo vosso Espírito, para que vos amemos com todo o nosso ser e amemos o próximo como a nós mesmos no vosso amor. Fazei crescer em nós esse amor, para que um dia, ressuscitados, partilhemos convosco a alegria do Reino dos céus. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra de Deus na mente e no coração, qual atitude me proponho a viver no dia de hoje?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.